Produção de Cerveja Artesanal

De forma bem resumida a produção de cerveja artesanal é dividida em algumas fases. Antes do início da produção em si há a elaboração da receita da cerveja a ser feita.

As fases da produção de cerveja artesanal são:

Produção de Cerveja Artesanal - Grãos Moídos

Produção de Cerveja Artesanal – Grãos Moídos

1 – Moagem dos Grãos

O malte de cevada deve ser moído antes de ser usado pra produzir cerveja. A moagem quebra a casca dos grãos, o que permite que os açúcares nele existentes sejam mais facilmente desprendidos.

Por ser um volume razoável de malte, a moagem é feita com moinhos de rolo automatizados com motor.

Produção de Cerveja Artesanal - Mostura

Produção de Cerveja Artesanal – Mostura

2 – Mostura

A mostura é praticamente fazer um “chá” dos grãos de malte de cevada. Consiste em colocar os grãos de malte em água aquecida, em temperaturas determinadas e específicas para cada fase da sacarificação, que é a quebra do amido em açúcares menores. Nas fábricas, dentro da panela de mostura existem grandes pás que servem pra agitar o mosto de forma com que aumente o rendimento da conversão do amido.

Serve pra que o açúcar dos grãos seja quebrado e passe pra água, formando o mosto.

3 – Filtragem e Clarificação / Lavagem dos Grãos

Após a mostura realiza-se a filtragem, separando o mosto dos grãos, porém eles continuam com boa concentração de açúcares. Afim de aproveitar esses açúcares fazemos uma lavagem dos grãos com água quente, o que possibilita um maior aproveitamento dos grãos com relação a extração do açúcar. O líquido produto dessa lavagem dos grãos é adicionado ao mosto previamente separado.

Produção de Cerveja Artesanal - SIstema Tribloco

Produção de Cerveja Artesanal – Sistema Tribloco

4 – Fervura

Como o nome diz, é a fervura do mosto já pronto. Durante a fervura, que dura cerca de uma hora, adicionamos o lúpulo. Este pode ser adicionado no começo da fervura (lúpulo de amargor), no meio (lúpulo de sabor) e no final (lúpulo de aroma).

A fervura visa também concentrar, esterilizar, inativar enzimas, aromatizar e provocar a caramelização de alguns açúcares.

Produção de Cerveja Artesanal - Chiller de Placas

Produção de Cerveja Artesanal – Chiller de Placas

5 – Resfriamento

Após a fervura há o processo de resfriamento do mosto, que serve para evitar contaminação durante a produção de cerveja artesanal e para termos uma cerveja mais límpida, uma vez que o rápido resfriamento provoca a coagulação de algumas proteínas que acabam decantando e assim ficam mais facilmente separadas do mosto que será passado ao fermentador.

Nas fábricas usa-se o chiller de placas. O líquido gelado corre pra um lado e o mosto quente pro outro, fazendo assim a troca de calor e resfriamento.

Produção de Cerveja Artesanal - Fermentadores

Produção de Cerveja Artesanal – Fermentadores

6 – Fermentação

A fermentação do mosto é realizada pela levedura, que consome o açúcar e produz gás carbônico e álcool.

Após o resfriamento o mosto é transferido pra um fermentador, nas fábricas eles são de inox e têm uma camisa térmica por fora, como se fossem duas paredes laterais.

Na camisa térmica fica um líquido refrigerado que controla a temperatura de dentro do fermentador. O controle de temperatura durante a fermentação é extremamente importante pois cada tipo de levedura trabalha melhor dentro de determinadas faixas de temperatura.

A fermentação pode durar de 2 dias a 1 mês, dependendo do tipo de cerveja.

7 – Maturação

O período de maturação serve para que subprodutos da fermentação sejam consumidos pela levedura, o que melhora o paladar da cerveja. Ela demora de 1 semana a meses, dependendo do tipo da cerveja.

Produção de Cerveja Artesanal - Envasadora

Produção de Cerveja Artesanal – Envasadora

8 – O Envase / Engarrafamento e a  Carbonatação

Última fase da produção de cerveja artesanal, o  mais comum é o envase em garrafas, mas pode-se usar também barris comuns de chopp (keg) ou post-mix, que é um barril antigamente usado para armazenar refrigerantes de máquina.

O envase em garrafas não exige nenhum equipamento específico, basta uma mangueira que conecte o líquido à garrafa e tudo bem. Neste caso geralmente a carbonatação (colocar gás) da cerveja é feita por priming, que é a adição de água com açúcar na cerveja de forma que a levedura produza gás e gaseifique o líquido já dentro da garrafa.

Outra possibilidade de carbonatação é a forçada, o que é a simples aplicação de gás carbônico na cerveja. Isso exige equipamentos mais específicos, como barris e cilindros de gás.

Assista o Vídeo Sobre Produção de Cerveja do Canal do Capitão Barley